FALHAS GRAVES NAS LINHAS DO METRÔ NOS ÚLTIMOS 5 ANOS

Ao verificarmos a quantidade de trens que circulam diariamente em todas as linhas do metrô estatal e na Linha 4-Amarela (privada), observamos que a L4 teve, nos últimos cinco anos, 40% a mais de falhas do que as linhas estatais. No entanto, a grande imprensa prefere não examinar a fundo os números que o próprio Metrô apresenta para, dessa forma, apoiar a privatização da L5.

O site UOL publicou, no dia 4/1, uma reportagem com o título “Panes graves nas linhas estatais do Metrô de SP crescem pelo 3º ano seguido”. No final deste texto você pode conferir a tabela publicada pelo site. Mas a matéria do UOL é tendenciosa e simplesmente omite informações valiosas. Vamos a elas:

2012: proporcionalmente ao tamanho das linhas, a L4 teve 50% mais falhas do que a L1
L4 teve quase 83% mais falhas do que a Linha 2
L4 teve 25% menos falhas do que a Linha 3
L4 teve 1000% mais falhas do que a L5

2013: proporcionalmente ao tamanho das linhas, a L4 teve 100% mais falhas do que a L1
L4 teve 100% mais falhas do que a linha 2
L4 teve 78% mais falhas do que a L3
L4 teve quase 500% mais falhas do que a L5

2014: proporcionalmente ao tamanho das linhas, a L4 teve quase 400% mais falhas do que a L1
L4 teve 160% mais falhas do que a L2
L4 teve 190% mais falhas do que a L3
L4 teve 300% mais falhas do que a L5

2015: proporcionalmente ao tamanho das linhas, a L4 100% mais falhas do que a L1
L4 teve 100% mais falhas do que a L2
L4 teve 130% mais falhas do que a L3
L4 teve quase 500% mais falhas do que a L5

2016: proporcionalmente ao tamanho das linhas, a L4 teve mais 30% falhas do que a L1
L4 teve 40% menos falhas do que a L2
L4 teve 32% menos falhas do que a L3
L4 teve 100% mais falhas do que a L5
Em 2016, nas 63 estações do metrô estatal, ocorreram 78 falhas. Já as 7 estações da L4 tiveram 8. Proporcionalmente, a L4, mesmo sendo mais nova, teve apenas 7,5% a menos de falhas. Se considerarmos os últimos 5 anos acumulados, ocorreram 370 falhas no metrô estatal e 82 na ViaQuatro, ou seja, proporcionalmente a L4 teve 100% a mais de falhas. Verificando a quantidade de passageiros transportados nos últimos 5 anos no metrô estatal e na ViaQuatro, houve a mesma quantidade de falhas no período, proporcionalmente.

Tudo isso sem contar que nos últimos anos o governo diminuiu os investimentos no metrô estatal e deu calote nas gratuidades. Também nos últimos 5 anos, o metrô estatal repassou mais de R$ 1,1 bilhão para a ViaQuatro. Ou seja, mesmo com o governo priorizando o setor privado, garantindo o lucro da concessionária e tentando precarizar as linhas estatais, o metrô estatal, que tem 40 anos, é mais eficiente do que a L4. Se todo o dinheiro desviado e repassado para a L4 tivesse sido investido no sistema poderíamos ter mais linhas. E menos problemas.

A questão central dessa discussão, que afeta todas as linhas, é que São Paulo precisa da expansão do metrô para diminuir a superlotação e a quantidade de falhas. Mas as linhas devem continuar estatais porque o metrô privado só visa o lucro. A L4 tem, entre operação e manutenção, 480 funcionários em 7 estações. Hoje, com 6 anos de operação, tem mais falhas que o sistema de 40 anos. O que vai acontecer quando a L4 chegar aos 40 anos?

É importante lembrar que a linha que se mostra mais eficiente entre todas (incluindo a L4) é a L5–Lilás, que tem cerca de 720 funcionários em 7 estações (mesmo número da L4). Ou seja, o governo do Estado quer privatizar a melhor linha. E com uma agravante: sem contrapartida nenhuma.

panes-no-metro-de-sao-paulo-1483129690263_615x501

 

 

 

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *